Movimentos celebram Dia da Consciência Negra em Itamaraju, e clamam por “fora Bolssonaro”

Militantes de movimentos sociais, partidos políticos e entidades culturais se uniram neste sábado (20) para celebrar o Dia da Consciência Negra e protestar contra o racismo e a desigualdade social. No ato, realizado na Praça Dois de Julho, houve também críticas à atual conjuntura política e ao governo do presidente Jair Bolsonaro.

Além de falas dos manifestantes, houve apresentações culturais como roda de capoeira e torneio de futebol femininio, que teve o time Italaje como campeão. A animação musical ficou por conta do cantor regional Elton Camargo.

Faixas em torno do ato denunciavam o preconceito racial, a desigualdade social e o sistema político instituído pelo governo federal. “Dia da Consciência Negra: somos todos iguais; mais respeito, menos preconceto!”, dizia uma das inscrições, enquanto que em outra o “Fora Bolsonaro!”, refletia a indignação em relação à conduta política do presidente da República.

O diretor do Sindibancários (Sindicato dos Bancários do Extremo Sul da Bahia), Carlos Eduardo Coimbra, refletiu sobre a forma de tratamento aos negros durante a escravidão no Brasil e o preconceito e a desigualdade à classe nos dias atuais. Já o presidente do grupo de capoeira Associação Arte dos Negros, Mestre Roseno, reforçou: “Não existe História do Brasil sem o povo negro.”

De acordo com João Climário, dirigente da CUT (Central Única dos Trabalhadores), “deve haver uma reflexão profunda sobre a consciência negra e a desigualdade social.”

Por sua vez, o diretor da Escolinha de Futebol Topa Tudo, Professor Lourinho, organizador do torneio, enfatizou que “a competição foi uma forma também de se manifestar em torno da valorização da cultura negra.”

Por Domingos Oliveira

Deixe seu comentário