Montinho bate recorde de roubos durante o mês de junho

Fonte: Giro de Noticias 

O distritos e Monte Pascoal, em Itabela, com um pouco mais de 7 mil habitantes vive um de seus piores momentos de segurança pública. Nos últimos 20 dias foram mais de 10 assaltos, a residência, estabelecimento comercial, veículos a pedestres.

Só na noite deste sábado, 25/06, um dia após o São João, ainda acontecendo festa junina na praça principal, elementos armados levaram um veículo Fiat Siena Attractive, cor zinca e com placa OLA. 3259 de Itabela, roubaram um morador no meio da rua e adentraram em uma residência, rederam o dono da casa e roubaram vários objetos.

Uma das vítimas que teve sua residência invadida por três marinais na noite deste sábado ,25/06, em Monte Pascoal, trata do senhor, Paulo Oliveira, conhecido por Paulo da balança. Três elementos chegaram em sua residência em um celta prata, bateram na porta da residência e o chamaram a vítima  que  ao abrir a porta, os bandidos anunciaram o assalto e levando televisor,  botijão de gás e dinheiro.

Outro roubo aconteceu na Praça Maringá, local dos festejos juninos. Os mesmos elementos em plena rua movimentada, pararam o carro celta cor prata, desceram do carro e assaltaram o rapaz de nome Zito, levando cordões, pulseiras e dinheiro.

Nos últimos 20 dias, o pequeno povado registrou três ocorrência de veículos roubados, um posto combustível e uma residência assaltados e mais de 10 moradores tiveram seus celulares tomados de assalto em locais público.

Nessa região que tem um grande movimento de produtores, comerciantes e até de turistas, por esta muito próximo do litoral de Porto Seguro e do Parque Nacional e com estradas que dão acessos a várias localidades no litoral portosegurense e por não ter policiamento ostensivo, os criminosos se aproveitam da oportunidade, para cometer os assaltos.

A localidade que fica a 28 Km da sede do município, tem fácil acesso de fuga por vários caminhos o que favorecem os marginais em fuga. Outra observação, devido a distância e as ameaças que os marginais fazem as vítimas no momento do roubo, muitas vítimas não procuram a delegacia para registrar a ocorrência ponderam assim dificultar as investigações a  esses tipo de ocorrência.

O distrito segundo especialista na área de segurança pública, precisa de esforço para a criação de alternativas de enfrentamento a crise na segurança pública da localidade e descarta que crise econômica seja responsável pelo crescimento da criminalidade. Ainda segundo ele, é preciso mais investimentos com mais policiais, viaturas e se possível locar policiamento ostensivo nesta localidade que fica como uma porta de entrada para os criminosos que roubam o foge quase sempre sentido ao litoral.

Deixe seu comentário