Itamaraju- Natal Premiado : Com 13º salário, prefeito, vice e esposas, receberão mais de 100 mil 

Em tempos de crise, um presente digno de papai Noel.

A normatização do pagamento do 13° salário para prefeitos, vices, vereadores e secretários municipais pelo Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM), deve garantir ao prefeito, vice e suas esposas secretárias em Itamaraju um Natal bem gordinho. Segundo o Grupo Fiscaliza Itamaraju, a expectativa é que juntos eles embolsem em torno de R$ 104 mil oque representa o dobro dos respectivos salários. Em tempos de crise, um presente digno de papai Noel.

Com o aumento salarial aprovado recentemente pela Câmara Municipal de Itamaraju, o prefeito Marcelo Angênica (PSDB) passou a ganhar R$ 20 mil por mês, enquanto o vice Téa Pires (PRTB) percebe R$ 12 mil. Como Angênica nomeou a sua esposa, Fabiana Angênica, como Secretária de Desenvolvimento Social e a esposa do vice, Juciara Pereira de Souza, para a titularidade da Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, com salário de R$ 10 mil para cada uma, juntos os quatro recebem mensalmente desde o início deste ano em torno de R$ 52 mil mensais.

Com a nova jurisprudência do STF, os agentes políticos municipais vão receber décimo terceiro e férias, fora os benefícios que já recebem por conta do cargo que ocupam. Contudo, o Tribunal de Contas dos Municípios alerta para o cuidado no cumprimento da lei de responsabilidade fiscal com relação à folha de pagamento que é de 54% para as prefeituras e 70% paras Câmaras de Vereadores. O Fiscaliza alerta que, no caso de Itamaraju onde o legislativo possui 15 vereadores recebendo salário de R$ 10 mil a folha de dezembro saltaria de 150 para R$ 300 mil.

O presidente da União dos Prefeitos da Bahia (UPB), Eures Ribeiro, disse que apesar da determinação, a maior parte das prefeituras não têm condições financeiras de pagar o 13°. Essa semana uma publicação de uma ação do governo mostrou a preocupação do executivo municipal de Itamaraju em cortar gastos. Nela se atribui o cascalhamento de ruas nos bairros a custo quase zero. Resta saber se a gestão planeja algum tipo de economia aos cofres do município no caso do pagamento do 13º salário.

Deixe seu comentário