Bolsonaro admite voltar ao PSL em vez de  criar o Aliança pelo Brasil

Presidente lançou novo partido após deixar o PSL devido a divergências com a cúpula da legenda. Ele disse que tem convites para se filiar a outros três partidos, um dos quais o PTB. O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (13) em transmissão ao vivo pela internet que poderá voltar ao PSL, partido do qual se desfiliou em razão de divergências com a cúpula da legenda.Após deixar o PSL, Bolsonaro lançou uma campanha de filiação ao novo partido que pretendia criar, o Aliança pelo Brasil. Mas o partido ainda não tem a quantidade de assinaturas suficiente para obter o registro na Justiça Eleitoral.

Bolsonaro afirmou ter recebido convites de três partidos, um dos quais o PTB, presidido pelo ex-deputado Roberto Jefferson, que aderiu ao governo ? na eleição de 2018, o PTB integrou a coligação que apoiou o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin.

“Difícil formar um partido. Não é impossível. [Mas] não posso investir 100% no Aliança. Eu tenho olhado outros partidos. Já conversei com três partidos, e um foi o [PTB, de] Roberto Jefferson. Tem a quarta hipótese, do PSL, que alguns sinalizaram uma reconciliação na mesa”, declarou.

Bolsonaro foi eleito pelo PSL em 2018, mas deixou a sigla após conflitos com o presidente nacional da legenda, Luciano Bivar. Desde então, o presidente e os filhos com mandato parlamentar tentam viabilizar a criação do Aliança Pelo Brasil. Em novembro do ano passado, ele participou do ato de lançamento da nova legenda (veja no vídeo abaixo).

“Não posso jogar todas as fichas no Aliança. Vou conversar com o pessoal do PSL, apesar de ter saído”, afirmou Bolsonaro.

Presidente Jair Bolsonaro lança oficialmente o novo partido: Aliança pelo Brasil

Segundo Bolsonaro, se a decisão for mesmo voltar ao PSL, abandonando o Aliança pelo Brasil, será preciso explicar aos militantes que se envolveram no projeto.

“Tem de mostrar para quem está acreditando [no Aliança pelo Brasil] o porquê da volta”, afirmou.

De acordo com o presidente, a legenda à qual eventualmente venha a se filiar não precisa ser um “partido nota 10”.

“Mas não pode ser nota 3, 4. Tem de ser um partido nota 8”, declarou.

Fonte: G1

Deixe seu comentário