Bolsonaro abandona ex-ministro preso para tentar sobreviver politicamente

Avaliando que o estrago provocado pela prisão na manhã de ontem do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro já está feito, o governo parte agora para a contenção de danos e tenta impedir a instalação de uma CPI no Senado para investigar corrupção no MEC. A oposição diz já ter 25 assinaturas para que a comissão seja instalada.

A estratégia do governo  para evitar que isso aconteça é intensificar a liberação de verbas para parlamentares e a apresentação urgente de outros pedidos de investigação, criando uma fila. O ex-presidente do Senado Davi Alcolumbre (UB-AP) estaria gerenciando até R$ 5 bilhões do orçamento secreto para desestimular adesões.  (Estadão)

Ribeiro foi preso em Santos (SP) pela Polícia Federal por suspeita de envolvimento num esquema de corrupção com verbas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Os pastores evangélicos Gilmar Santos e Arilton Moura, também presos ontem, teriam montado um ?gabinete paralelo? no MEC para gerenciar a liberação dos recursos para municípios em troca de propina. Em conversa com prefeitos, cujo áudio foi vazado, Ribeiro, que também é pastor, dizia que a intermediação de Gilmar havia sido um pedido do próprio presidente Jair Bolsonaro (PL). (g1)

O estopim para a prisão, segundo Igor Gadelha, foi um depósito de R$ 60 mil na conta da mulher de Ribeiro feito por pessoas ligadas a Arilton Moura. A defesa do ex-ministro diz que o dinheiro é referente à venda de um carro para uma filha do pastor. (Metrópoles)

Em março, quando o escândalo foi denunciado, Bolsonaro fez uma defesa enfática de Ribeiro em uma de suas lives. ?O Milton, coisa rara eu falar aqui, eu boto a minha cara no fogo pelo Milton. Minha cara toda no fogo pelo Milton?, afirmou. Já ontem, em entrevista a uma rádio, o presidente lavou as mãos. ?Pelo que estou sabendo, é aquela questão que ele estaria com uma conversa informal demais com algumas pessoas de confiança dele. Se tem prisão, é PF, é sinal que a PF está agindo. Que ele responda pelos atos dele?, disse. (UOL)

Com informações do meio 

Deixe seu comentário