(Áudio) Itamaraju: Evento com estudantes marcam, o dia da consciência negra

 

Entrevista com Rita Valéria da C. Guimarães Articuladora da disciplina de História – PLAY

Foi com espírito consciente da valorização da memória, como principal instrumento da conservação da nossa  história,  que nós professores historiadores itamarajuenses , realizamos pela primeira vez em Itamaraju ? o dia do orgulho negro?? , ou  ??Consciência Negra ??, como formalmente ficou conhecida e sacramentada pela Resolução do Conselho Nacional de Educação, LEI 10.639/03 , data que marca a morte de Zumbi dos Palmares , principal personagem negro na luta contra a escravidão africana no Brasil.

Com o tema: África e Bahia : Afrobaianidade , 2 povos,  1 cultura . Em um evento que contou com belíssimas apresentações culturais, como danças, músicas, poemas, exposição de quadros e esculturas, numa perspectiva de valorização de toda herança da cultura negra.

Antes de expormos a finalidade desse projeto pedagógico,  criado nas articulações da disciplina de História do Ensino Fundamental ? Anos Finais , Vale salientar que o tema que expresso já é objeto de trabalho de todos os professores da rede de ensino , nos diferentes segmentos do Ensino Fundamental das séries finais das escolas municipais de Itamaraju. É importante que os alunos tenham as informações corretas acerca de nossa história e que isso possa contribuir para diminuir as atitudes racistas ou discriminatória advindas da desinformação e do analfabetismo cultural .

Nessa perspectiva,  Esse projeto buscou fomentar intervenções pedagógicas e didáticas com vistas  a erradicação de ações dessa natureza. Um dos principais objetivos do Projeto,  consiste em difundir as culturas afro-baiana , nas artes visuais , na música,  na literatura , na dança e nos personagens negros baianos e toda sua herança cultural .

E com um imenso orgulho e a nobre sensação do dever cumprido ,digo que conseguimos conscientizar e sensibilizar nossos alunos da importância desse projeto e apesar de todos os ?contratempos) , os trabalhos foram realizados com muito empenho e dedicação da equipe de professores de História e sua articulação e principalmente , pelo corpo discente,  que foram os principais protagonistas deste evento.

?Resgatar a nossa memória,  significa resgatar a nós mesmos da armadilha do esquecimento. Significa estarmos reafirmando a nossa presença ativa na História pan-africana e na realidade universal dos seres humanos ?

                            (Abdias Nascimento)

Por Rita Valéria da C. Guimarães

Articuladora da disciplina de História

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.