Após prisão Tio confessa estupro à sobrinha em Itamaraju

Em depoimento a vítima relatou que durante o percurso, o acusado desviou do caminho e a levou para uma estrada vicinal próximo ao Posto de combustível Corujão. Foto: Itamaraju Noticiais

A Polícia Civil de Itamaraju, sob o comando do Delegado Plantonista Marco Antônio, realizou na noite do último domingo (28), a prisão de um homem acusado pela prática do crime de estupro, em Itamaraju.

De acordo com a Polícia Civil, uma adolescente de apenas 16 anos, foi abusada sexualmente pelo o seu tio (irmão de seu padrasto) A polícia apurou ainda que o acusado identificado por Adiran de Oliveira Brito, teria praticado o ato criminoso após oferecer uma carona de motocicleta a vítima.

Em depoimento a vítima relatou que durante o percurso, o acusado desviou do caminho e a levou para uma estrada vicinal próximo ao Posto de combustível Corujão, localizado na saída da cidade, sentido Teixeira de Freitas, onde a abrigou a manter relações sexuais. Logo após o ato, a mesma foi levada para a residência da companheira do acusado e recebeu ameaças, caso ela contasse a situação para alguém.

Abalada emocionalmente e aos prantos, a vítima contou o que teria ocorrido e foi orientada procurar as autoridades policiais do município.

Após receber a denúncia os investigadores da Polícia Civil realizaram diligências para efetuar a prisão do acusado, que sabendo que estava sendo procurado pela polícia dirigiu-se até a delegacia onde foi detido por policiais civis.

?Inicialmente ele negou o fato, depois com a chegada de seu advogado, resolveu assumir que praticou o ato sexual sem o consentimento da adolescente que apresentou resistência?, relato  lavrado em ocorrência.

A polícia ainda ouviu duas testemunhas acerca do caso e diante dos dados levantados pelo os investigadores, o Delegado da Polícia Civil, Marco Antônio, representou pela prisão em flagrante do acusado por entender que houve a prática do crime de estupro previsto no art. 213 do CPB. O acusado segue detido a disposição da justiça.

Ascom/Polícia Civil

Deixe seu comentário