‘PSDB vive síndrome por abstinência de poder’, diz economista tucano

 Luiz Carlos Mendonça de Barros, filiado há mais de 20 anos na sigla, disse acreditar que o resgate da agenda poderá ser feito na campanha eleitoral de 2018

Foto: Reprodução economista Luiz Carlos Mendonça de Barros, filiado há mais de 20 anos ao PSDB, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, afirmou que existe apenas uma explicação para a posição dúbia que o partido adotou em relação à reforma da Previdência: ?O PSDB viveu sem perspectiva de poder por uns 15 anos. Envelheceu. Perdeu lideranças?, opinou.

Mendonça de Barros disse acreditar que o resgate da agenda poderá ser feito na campanha eleitoral de 2018, que será marcada pelo debate reformista. ?Esta vai ser a campanha da responsabilidade da gestão da economia?, contou ele.

Deixe seu comentário