Suspeito de fraude em concurso da PM se enquadra perfeitamente no critérios para cotistas

Nota Explicativa

Explicação sobre as falsas alegações feitas a respeito de uma suposta fraude no certame da PMBA (Policia Militar da Bahia) 2017.

Foi veiculado em alguns meios de comunicação, de maneira equivocada, que um estudante de Itamaraju teria supostamente fraudado o sistema de contas raciais oferecida no certame da PMBA (Policia Militar da Bahia) 2017 para NEGROS OU PARDOS E AUTODECLARADOS NEGROSsegundo os critérios do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e estatística), o candidato hora citado em matéria anterior fez questão de quebrar seu sigilo pessoal e fornecer dados confidencias que atestam a falsidade dos fatos alegados anteriormente e sua boa índole moral, provando publicamente que tem condições legais de concorrer nesta modalidade.

O candidato Alex de Souza Pereira Junior realmente seguiu todas as normas definidas no edital do certame, bem como na lei federal 12.990 de 2014. Abaixo segue imagem do edital do concurso publico e também a imagem do registro de nascimento do Sr. Alex que comprovam que este procedeu com idoneidade moral e obteve aprovação no concurso público com base na sua dedicação e mérito pessoal.

Diante dos fatos expostos fica fácil perceber, que não passam de falácias e inveja os fatos alegados sobre o jovem e promissor Alex que desde os seus 18 anos trabalha na iniciativa pública em empresas como EMBASA (Empresa Bahiana de Águas e Saneamento) e Prefeitura Municipal de Itamaraju onde inclusive trabalha atualmente.

Deixe seu comentário