2018: Marina e Bolsonaro terão tempo irrisório na TV e rádio

Disputando o segundo lugar nas pesquisas para o Planalto em 2018, Marina Silva (Rede) e Jair Bolsonaro (PSC) ?que negocia ingresso no PEN? poderão ser nanicos em tempo de tevê; em 1989, projeção indica Marina com 12,8 segundos e Bolsonaro com 10 segundos em cada bloco ?um à tarde e outro à noite, nas terças, quintas e sábados dos 37 dias que antecedem o 1º turno.

Na primeira eleição presidencial direta após o fim da ditadura militar, um candidato calvo e com espessa barba negra se notabilizou ao aparecer diariamente na propaganda da TV com um discurso acelerado e invariavelmente encerrado com o bordão “meu nome é Enééééas!”.

Daqui a alguns meses, importantes concorrentes ao Palácio do Planalto podem reviver os apuros enfrentados por Enéas Carneiro (1938-2007) há quase 30 anos.

Disputando o segundo lugar nas pesquisas, Marina Silva (Rede) e Jair Bolsonaro (PSC) ?que negocia ingresso no PEN? poderão bater uma espécie de recorde caso não consigam formalizar alianças.

Em 1989, Enéas tinha 15 segundos a cada bloco. Projeção da Folha para o tempo a ser distribuído entre os candidatos em 2018 mostra Marina com 12,8 segundos e Bolsonaro com 10 segundos em cada bloco ?um à tarde e outro à noite, nas terças, quintas e sábados dos 37 dias que antecedem o 1º turno.

As inserções são consideradas mais importantes ainda pois pegam o eleitor “de surpresa”, incluindo aquele que se recusa a assistir o horário eleitoral. A regra de divisão é a mesma. Marina e Bolsonaro terão direito a uma inserção de 30 segundos a cada dois dias. A única saída para contornar essa situação é a coligação com outras legendas, que agregam tempo de TV.

 

por Ranier Bragon

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.