Secretário é denunciado por envolvimento na venda de combustível da prefeitura de Itamaraju

  

Mais uma denúncia trás à tona a revelação de mais um suposto esquema de corrupção envolvendo o Secretário de Saúde, Elan Wagner, conhecido como ‘Elan de Lozinho’ e coloca mais uma vez o governo do médico Marcelo Angênica (PSDB) numa situação complicada perante a Justiça Federal.

Dessa vez a denúncia revela um esquema de venda de combustível destinado a abastecer veículos de transporte de pacientes da secretaria de Saúde. Segundo a denúncia, o esquema funcionava da seguinte forma: O secretário de Saúde, Elan Wagner (PSDB) preenchia diversas requisições de combustível e repassava ao diretor de transporte da saúde, Fábio Lima (PSDB),  que ficava encarregado em negociar no mercado negro as notas com valor inferior ao cobrado nas bombas do posto.

Em outro trecho do vídeo, fica evidente que basta entregar a nota assinada pelo secretário que o abastecimento é liberado na hora e sem nenhum questionamento. ‘Não é necessário apresentar qualquer documento comprobatório, basta entregar a nota e abastecer’, informa o denunciante.

A estimativa é que através deste esquema uma média de dois mil litros de combustível esteja sendo comercializado por mês somente na secretaria de Saúde. A operação causa um prejuízo de quase R$ 10 mil por mês. ‘Todo dia ele vende notas de gasolina e diesel!’ Finaliza a fonte que preferiu para ter o nome revelado.

Ainda segundo a denúncia, no esquema está sendo comercializado uma média de dois mil litros de combustível por mês somente na secretaria de saúde, causando um prejuízo de quase R$ 10 mil por mês. ‘Todo dia ele vende notas de gasolina e diesel!’ Finaliza a fonte que preferiu para ter o nome revelado.

Outra denúncia: Transporte escolarO prefeito de Itamaraju já responde por uma denúncia semelhante, porém dessa vez na educação. Segundo o Grupo Fiscaliza Itamaraju,  o prefeito Marcelo Angênica foi denunciado no Ministério Público Federal por declarar que até veículos quebrados e sem uso são abastecidos diariamente. ‘Havia ônibus sem roda, diferencial e até faltando peças no motor, porém aparecia na lista de abastecimento. Tinha até Fiat Uno que abastecia 50 litros de gasolina todo dia e rodava fim de semana em Porto Seguro’,  relata um trecho da denúncia.Essa nova denúncia, novamente no Ministério Público Federal, coloca o prefeito e secretário de Saúde numa situação bastante complicada, pois o MPF tem atuado de forma enérgica punindo gestores que desviam recursos Federais, em especial aquelas destinados à saúde e educação que tem servido como base para afastamento de gestores, a exemplo dos prefeitos de Porto Seguro e Eunápolis, ambos padrinhos políticos do vice prefeito de Itamaraju, Téa Pires.Supostas cotas semanais para Vereadores A denúncia também aponta que alguns vereadores teriam uma espécie de ‘cota semanal’ distribuída pelo Secretário de Saúde. ‘Alguns vereadores recebem 50 litros de combustível por semana, o secretário faz a nota e repassa.

O prefeito sabe de tudo’.  Afirmou o denunciante que preferiu não se identificar.Fábio Lima é aliado histórico do Presidente do PSDB municipal, Jorge Almeida, e também foi um dos responsáveis por realizar a campanha do seu genro, o deputado Adolfo Viana.

veja também

Deixe seu comentário