Politica externa fracassada, traz dificuldades para acelerar a vacinação no país

Mal iniciamos o processo de imunização no Brasil e nos deparamos com a dura realidade dos estragos cometidos pela “diplomacia” brasileira desastrosa. O mundo cobra a fatura do negacionismo e prepotência letal bolsonarista.

O clã Bolsonaro junto com o servo Ernesto Araújo fizeram de tudo pra destruir relações com a China. As acusações vão desde culpar os chineses pela criação do covid-19 até o absurdo de insinuar que o Partido Comunista da China e empresas chinesas de quererem praticar espionagem cibernética por meio da tecnologia 5G. Como se o estrago fosse pouco, atacou de forma pejorativa a CoronaVac de VaChina. Resultado: sem a parceria e insumos chineses, a nossa produção de vacinas estaria fadada ao fracasso.

A Índia, a exemplo da China e Rússia, anteriormente grandes parceiros do Brasil no BRICS, também virou as costas ao negacionismo Bolsonarista. Enquanto os indianos defendiam na Organização Mundial do Comércio (OMC) a quebra de patentes temporárias de medicamentos no combate ao coronavírus, Bolsonaro, pesando no lucro dos laboratórios privados, foi contra. Saldo: a Índia tirou o Brasil da lista de prioridades para vacinas contra o Covid-19. Isso explica a cena humilhante do avião brasileiro em Recife esperando o sinal verde da índia que não veio.

Nessa guerra pandêmica, o Itamaraty só não está mais perdido do que o general-ministro e falastrão Pazuello. Depois da carnificina em Manaus com a falta de oxigênio que matou brasileiros e obrigou médicos enviarem bebês prematuros às pressas a outros estados, explode outro colapso na cidade do Beto Faro, no Pará. Pelo menos, seis pessoas morreram nas últimas 24 horas por asfixia. Me digam vocês, se isso não for qualificado como crime premeditado, o que mais será?

“Nada está perdido, temos vacina de OXFORD produzida pela Fiocruz”, esqueçam. A Fundação afirmou que a vacina só será entregue em março. Sabe a China? Os nossos pesquisadores brasileiros dependem de um insumo chinês para iniciar a produção em larga escala da vacina no Brasil. A entrega do composto estava prevista para janeiro, assim fosse, teríamos distribuição da vacina em fevereiro, mas o prazo não será mais cumprido. O Brasil soma mais de 211 mil mortes numa guerra guiada pela cegueira assassina.

A queda de Pazuello tem que ser pra ontem! O infortúnio é que nada mudará enquanto a raiz negacionista e genocida não forem arrancadas. O impedimento de Bolsonaro está atrasado desde o primeiro mês de posse do impostor. Cada ser humano que morre é culpa de quem mantém o energúmeno no Planalto. Alô, Rodrigo Maia! Agora sim temos sangria de verdade! Continuará sendo cúmplice? Tuites ao vento não salvam vidas. Honre o mandato de presidente da câmara, caso contrário, entrará para história como sócio de Bolsonaro.

Por Josias Gomes  

Deixe seu comentário