Descaso federal- Fragmentos do óleo se aproximam do Extremo sul da Bahia

Na manhã de domingo (27/10) , banhistas encontraram pequenos fragmentos do óleo nas águas e areia da praia da Costa, a mais famosa do município com mais de seis quilômetros de extensão, localizada na ilha de Atalaia. A substância apareceu também na praia do Peso e na Comunidade Barra Velha.

Fragmentos do óleo chegam a Canavieiras, no sul da Bahia – Foto: Walney Magno

Já na manhã desta segunda-feira (28/10), pescadores encontraram uma tartaruga morta, na praia do Peso, que fica entre Canavieiras e Belmonte.

Tartaruga morta, encontrada na Praia do Peso, na manhã desta segunda-feria, dia 28 – Foto: Walney Magno

Canavieiras é conhecida no Brasil como o maior centro pesqueiro do robalo, além de ser o maior viveiro do marlin azul do mundo. O litoral tem 40 quilômetros de praias além de ser estuário de nove rios importantes para a Bahia.

VOLUNTÁRIOS

Agentes dos órgãos de proteção ao meio ambiente, moradores, jovens estudantes e pescadores voluntários estão recolhendo a substâncias das praias.

Até agora foram quase cinco quilos das chamadas ‘pelotas’ do petróleo, mas a cidade está atenta à possibilidade de chegada de maior quantidade do óleo cru.

Raimundo do ICMBio e Carlos da Amex- Foto: Walney Magno

Uma área no aeroporto de Canavieiras foi destinada ao armazenamento do material. O óleo será coberto com lona, enquanto não se encontra outro tipo de destinação para o produto.

ALERTA VERMELHO

Desde o aparecimento das primeiras manchas em praias de Ilhéus a cidade de Canavieiras montou uma ação de monitoramento para a chegada do material.

Por iniciativa da ‘Associação Mãe dos Extrativistas de Canavieiras, Uma e Belmonte’ (AMEX), Instituto Chico Mendes (ICMBio), Reserva Extrativista de Canavieiras (RESEX), Prefeitura Municipal, Corpo de Bombeiros Militares e da Delegacia da Capitania dos Portos, ambas de Ilhéus, ONGs, voluntários, estudantes, pescadores e marisqueiras a cidade montou um plano de alerta.

vídeo vira liza nas redes sociais

Posted by Joao Severino Silva on Thursday, 24 October 2019

Conforme informou o biólogo Raimundo Bonfim, o grupo de ação, denominado ‘SOS Manguemar’ tem feito reuniões desde o dia 12 de outubro. Os encontros acontecem a cada três dias, para alinhar as atividades de controle.

Grupo SOS Manguemar se reúne a cada três dias para alinhas as ações

Foto: Walney Magno

A retirada do óleo no mar recebe o apoio do comércio local, da Marinha, ICMBio e Defesa Civil que doou luvas, máscaras e sapatos fechados.

“A maior preocupação da cidade é a chegada dessa substância aos manguezais. A cidade possui 10 hectares de área de mangue”, enfatiza do biólogo Raimundo Bonfim.

Deixe seu comentário