Adolescente que estava desaparecida é encontrada morta

O corpo de Vívia Medeiros Soares, de 15 anos, que estava desaparecida desde a manhã de domingo (03), quando foi vista pela última vez no Centro de Vereda em companhia de Daniel Max Santos de Jesus, de 19 anos, foi encontrado na noite desta segunda-feira, 04 de fevereiro, na localidade da Prata, local onde a vítima morava, interior do município.

A família de Vívia esteve nesta segunda-feira na delegacia onde registrou o desaparecimento da jovem.  Após o sumiço de Vivian, Daniel falou que tinha deixado a jovem em companhia de uma outra pessoa de nome Gustavo.

Cartazes espalhados nas redes sócias diziam que a adolescente havia sumido depois de ter suas fotos íntimas expostas. A família relatou que Vívia vinha sendo ameaçada de morte através de redes sociais de uma pessoa moradora da cidade do Prado.

Publicidade:

Após o registro do desaparecimento da jovem a Polícia Civil começou as investigações e chegou até o acusado que confessou em depoimento que matou Vívia estrangulada porque ela se negou a ter relações sexuais com ele. Daniel falou para os policiais aonde o corpo de jovem estava enterrado.

O corpo da adolescente estava em uma propriedade rural embaixo de certa quantidade de terra e galhos de árvore, em decúbito dorsal. Vívia estava com uma bermuda azul, com a blusa amarrada no pescoço com um nó, o sutiã estava abaixado em torno da cintura. O corpo da vítima já estava em adiantado estado de decomposição.

O suspeito afirmou que havia matado a vítima estrangulada na manhã do domingo (03), por volta das 09:00h, após ter tentado manter relações sexuais com a jovem, rejeitado, Daniel, teve um ataque de fúria e estrangulou a adolescente, primeiro com as próprias mãos, depois com a blusa da mesma. O corpo foi removido para o IML de Teixeira de Freitas. O acusado está detido na carceragem da 8ª Coorpim.

com informações do Bahiaextremosul

Deixe seu comentário