Acusada de assassinar bebê afogado em Posto da Mata nega o crime

Maria Aparecida Monteiro Apolinário, a “Cidinha”, de 41 anos, acusada de assassinar um bebê de apenas 3 meses, numa caixa d’água, em Posto da Mata, distrito de Nova Viçosa, está custodiada na sede da 8ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/Teixeira de Freitas).

Nesta segunda-feira, 30 de novembro, a acusado falou à equipe da TV Liberdade, quando negou o crime, afirmando estar tranquila e que tudo será esclarecido no decorrer da investigação policial. O pai do bebê alegou que Maria Aparecida, que também é tia da criança, queria relacionar-se sexualmente com ele e diante de uma suposta negativa, a mulher teria pegado a criança dormindo e praticado o afogamento nos fundos da casa.

PUBLICIDADE

A acusada disse à reportagem da TVLN, que não viu esse bebê em momento algum. Que ela até ajudou a sua sobrinha quando o bebê nasceu. Ela disse também que ficou sabendo de uma desavença entre o casal, que o marido teria descoberto que o filho não era dele, e que eles discutiram, e que não sabe se foi o marido que matou o bebê ou a própria mãe. Ela disse também que nunca teve nada com o marido da sobrinha, que não houve essa conversa de ela querer ficar com ele.

O inquérito policial do caso é presidido pelo delegado Marco Antônio Neves, titular da Polícia Civil de Nova Viçosa, que está ouvindo testemunhas, para depois concluí-lo e remetê-lo ao Judiciário.

Por Ronildo Brito / Imagem: Reprodução TVLN

Deixe seu comentário